Como o sono pode interferir na qualidade do treino

Ainda que negligenciado, a otimização metabólica começa com o sono.

A produção Melatonina e hormônio do Crescimento (GH), responsáveis pelo reparo celular e diminuição do stress oxidativo, são influenciados por situações do dia a dia, que acabamos nem percebendo o prejuízo imediato.

Praticamente todas as áreas de desempenho são afetadas pelo sono inadequado, incluindo velocidade, resistência, força, atenção, função executiva e aprendizado.

Para corroborar essa ideia, estudos mostram que pessoas que dormem menos do que 08 horas por noite, apresentam:

  • 1,7x mais riscos de lesões;
  • 3x mais resfriados comuns;
  • diminuição da imunidade;
  • desequilíbrio metabólico; –
  • piora dos padrões alimentares;
  • redução do metabolismo de glicose;
  • menor tolerância à dor.

É importante salientar que o Sono ruim pode ser o fator de piora do rendimento, mas também a consequência de situações como o excesso de treinos, ingestão calórica insuficiente, stress e ansiedade de resultados.

A avaliação médica pode ser necessária para o diagnóstico de um Distúrbio do Sono, junto ao acompanhamento de equipe multidisciplinar.

No entanto, algumas medidas simples já podem ser tomadas, as quais chamamos Higiene do Sono:

1. Dormir entre 22h e 23h;

2. Apague todas as luzes do quarto, inclusive a luz vermelha da TV e do Ar Condicionado;

3. Não utilizar celular e TV até 1 hora antes de dormir;

4. Evite bebidas estimulantes, como cafeína, álcool, energético, ao anoitecer;

5. Evite situações stressantes, discussões de problemas, ao anoitecer;

6. Treine durante o dia;

7. Alimentação saudável, com ingestão de carboidratos adequada;

8. Hidratação adequada (35ml/kg de peso/dia), maior ingesta pela manhã.

Respeite o seu corpo que ele te mostrará do que é capaz.

Abraço,

Dr. Thales Medeiros

CRM/SC 18938 – RQE 15196

Ginecologia Endócrina

@drthales.medeiros


Curtiu o conteúdo do Dr. Thales? Leia mais: